O Maior problema da importação de pequeno porte

Tempo de leitura: 6 minutos

Saiba qual é o maior problema da Importação de pequeno porte com a China Gate

E aí, importador, tudo beleza? Deixa eu te perguntar: você sabe qual o maior problema na importação de pequeno porte? Caso tenha pensado no frete, na taxa do dólar, ou no tempo de transporte da China para o Brasil, fique ‘tranquilo”, pois não é nenhuma delas. Vamos te mostrar nesse post, e evitá-lo de forma eficiente.

Lembrando que a China Gate oferece a você todo o suporte, consultoria e capacitação para fazer operações de importação da China para o Brasil de forma super tranquila, econômica e prática. Nosso serviço exclusivo garante valores bem interessantes para quem deseja importações em todas as escalas para cá. Não deixe de conferir maiores detalhes aqui mesmo no site.

Então, se você ainda não pescou qual é o maior problema da importação de pequeno porte, vamos te mostrar adiante.

E o maior problema da importação de pequeno porte é…

Armazenagem. Até parece contraditório, não é? Afinal, se são cargas de pequeno porte, você precisaria de menos espaço tanto no container, como no seu próprio depósito. Mas é exatamente esse o ponto…

Quase ninguém fala sobre armazenagem quando o assunto é importação de pequeno porte, e muitas vezes caímos nessa armadilha sem saber. 

Por que a armazenagem pode ser um problema da importação de pequeno porte?

Na importação, estamos acostumados a analisar os seguintes pontos:

  • o preço do produto;
  • os impostos a serem pagos em cima dele;
  • qual o valor de frete para trazer da China do Brasil.

Só que, quando esses produtos chegam aqui, ainda existem outros valores pertinentes, e que devem ser pagos para retirar o produto dos portos ou aeroportos. Ah, só para constar: todos esses fatores são direcionados para importações de empresas, por pessoas jurídicas e devidamente legalizadas, certo? Temos um artigo explicando em detalhes como você pode fazê-lo pelo Alibaba, por exemplo.

Quando a carga chega ao Brasil, você tem custos de frete que estão fechados ou não no momento da compra. Contudo, além deles, você ainda tem um custo de armazenagem nestes locais. Especificamente, esse valor é direcionado para os terminais de cargas que recebem essas transações, principalmente em containers.

E é aqui que esse ponto pode se tornar uma dor de cabeça para quem importa. Toda carga que chega nesses terminais tem um custo de armazenagem, sem contar todos os valores referentes ao despachante aduaneiro que devem ser pagos para liberar a carga.

Percebeu um ponto? Quanto mais tempo a sua carga ficar no porto para ser liberada, maior será o custo de armazenagem. E quanto a importação de pequeno porte já pode ter valores realmente altos, mas já chegaremos nessa parte.

Para quem vai o custo de armazenagem?

Como falamos antes, o valor pago na taxa de armazenagem é direcionado para os terminais de cargas, e não para a Receita Federal. 

A analogia é bem similar às concessionárias de pedágio. Assim como as rodovias possuem uma gestão de empresas particulares, com autorização do Estado, os terminais recebem concessões de portos para essas empresas, e são através deles que o valor é repassado para o governo.

Todo terminal de carga cobra seus devidos custos de armazenagem, e tantos outros, para manter os produtos importados com a devida segurança. Além dessa taxa de armazenagem, ainda existem outros tantos custos a serem levados em conta, como a taxa SISCOMEX, a da Marinha Mercante, etc… Falaremos em outra oportunidade.

Entendendo o custo de armazenagem para importação de pequeno porte

Bom, o que acontece se você não pagar a taxa de armazenagem? Além de geralmente você não saber que esse valor existe, também não sabe quando vai fazê-lo, os custos são altos para caramba, e se você não pagar, não tem como tirar a carga do porto. E se caso não fizer em até 90 dias quando ela chega, a carga é dada como perdimento.

Isso significa que você vai perder seus produtos. Não tem choro, nem vela, seu produto é perdido e não tem volta. Aqui tem um detalhe interessante de mencionar, que é quanto a maneira que essa armazenagem é realizada.

Quando você faz uma importação de todo um container, ele faz o que chamamos de armazenagem pátio. Isso significa que todos os seus produtos serão colocadas em um espaço de acordo, dentro do container pedido, devidamente protegido, e com custos de acordo. 

Nesse formato de armazenagem, os custos para manter o container são menores do que em modelos consolidados, que são os praticados na importação de pequeno porte. A razão para isso é simples: em importações do tipo, essas pequenas cargas, suas e de outros importadores, são retiradas dos containers, e encaminhadas para um armazém dentro do terminal. 

E os custos para ficar lá são muito, MUITO mais caros proporcionalmente em relação ao armazenamento pátio. 

Como identificar os custos de armazenagem consolidada?

Para saber os custos de armazenagem para cargas pequenos é bem fácil. Primeiro de tudo, saiba em qual porto ela chegará, pois a partir dele, é possível saber quais terminais de carga operam ali. Com essa informação, você pode ir ao site desse terminal, e conferir os custos tabelados das cargas.

Os preços podem variar bastante. Tem terminais que cobram por dia em que as cargas ficam no armazém, tem quem cobre o custo por mês, ou ainda a cada 10 ou 15 dias. Ou ainda pelo espaço ocupado pela carga.

O ponto é que, sem você saber desses valores, a encomenda pode sair muito mais cara que o produto, e isso costuma ser fatal para quem faz pequenas importações, ou quando transporte é feito em um container compartilhado. A dor de cabeça é garantida.

Como reduzir os custos de armazenagem?

Antes de mais nada: não compre produtos da China com frete SIF. Isso, na prática, dá ao fornecedor a liberdade para escolher o tipo de transporte, o que pode te pegar desprevenido com essa questão dos custos de armazenagem. Ao comprar por Fob, você tem mais controle de frete, o que vai garantir melhores custos de armazenagem.

Isso é importante para tornar suas compras realmente baixas em custos de transporte, pois você consegue negociar, junto ao agente de cargas e o despachante aduaneiro, valores mais em conta quando estiverem no Brasil.

Então, para evitar a famosa “importação Kinder Ovo”, com alguma surpresa, a China Gate desenvolveu um serviço para importações de pequeno porte, simplificando sua vida,  chamado Importação Digital.

Ele funciona da seguinte maneira: após fazer a compra com o fornecedor, ele manda para o nosso depósito na China, e depois que recebemos a carga, encaminhamos para nosso container compartilhado, junto a outras operações de outros compradores. 

Dessa maneira, você tem um preço fixo baseado em metro cúbico, incluindo todas as taxas com o despachante aduaneiro, armazenagem, e outras que ficariam bem mais caras se fosse uma importação de pequeno porte em container compartilhado de fora.

Se a ideia te anima, clique aqui, para saber mais sobre o Importação em nossos Containers compartilhados mensais.