Como Importar Eletrônicos da China Para Revenda

Tempo de leitura: 9 minutos

A Importação empresarial tem como principal objetivo a revender os produtos comprados na China. Um dos ramos que tem despertado a atenção de muitos importadores é o de eletrônicos. E, isso é perfeitamente compreensível, já que a vida da sociedade contemporânea é bastante dependente de compostos eletrônicos. Mas será que vale apena importar celulares, computadores, pendrives, câmeras e outros equipamentos? Nesse texto, você vai aprender como importar eletrônicos da China para revenda.

Bora importar?

Esqueça Produtos de Marcas Famosas

Esse é um ponto muito importante na importação de produtos eletrônicos. Em geral, se você importar um produto da Samsung, Apple ou qualquer outra marca famosa, é certeza de que você terá problemas quando a carga for passar pela Receita Federal, a não ser que você tenha uma licença ou autorização do dono da marca para comercializar o produto no Brasil. Se você não for um empresário com bastante bala da agulha para conseguir essa liberação, desista!

Mas aí o importador pode dizer: “Ah, eu tenho um vizinho que importa Xiaomi e vende para toda redondeza!” É possível sim que seu vizinho esteja fazendo isso, mas não através de um importação empresarial. Ou seja, é possível que ele importe como pessoa física e revenda os produtos.

O problema é que dessa maneira, além de ser uma prática ilegal, você dificilmente vai conseguir crescer em escala. Ou seja, vai ficar vendendo um número limitado de produtos todos os meses. Se o objetivo for esse, ok respeito. Todavia, se você pretende aumentar a lucratividade, conquistar o mercado e solidificar o negócio, precisa fazer importante de volume e legalizada.

Por isso, invista em produtos com sua própria marca. Procure no Alibaba ou vá a China e pesquise os produtos, saiba como é o procedimento para importar com o nome e cara da sua empresa, ok?

Quer saber outras vantagens de importar produtos com sua própria marca?

Importar Eletrônicos da China para Revenda é Viável?

Para responder a essa pergunta, é necessário percorrer um caminho de cinco passos. Então, para saber se a importação de eletrônicos da China para revenda é viável ou não, precisamos calcular os custos da importação, por meio da planilha de custos. Além disso, você precisará fazer uma pesquisa no mercado, saber quais os preços praticados no produto. Com essas informações você vai entender se a importação é viável e se será possível concorrer no mercado e obter bons lucros. Dessa forma, costumo dividir os custos de importação em quatro blocos, que são:

  1. Custo do Produto
  2. Custo do Frete
  3. Impostos
  4. Despesas Fixas

Qual o Custo do Produto na Importação de Eletrônicos da China

O Custo do produto vai depender da quantidade e da qualidade do seu pedido junto ao fornecedor. Além disso, quanto mais tempo você gastar procurando ou fazendo busca de um produto no Alibaba, por exemplo, maior é a chance de encontrar bons preços.

Assim, verifique a reputação do fornecedor. Você pode fazer isso checando as avaliações feitas por outros clientes. Elas estão disponíveis na própria plataforma. Você ainda pode pedir uma vistoria ou inspeção no fornecedor e, além disso, dependendo do produto, pode pedir amostra, lote teste ou os dois.

O Valor do Frete para Importar Eletrônicos da China para Revender

Os produtos eletrônicos são mais caros por serem itens de alto valor agregado. Então, encher um container de monitores de computador é muito diferente de importar utilidades do lar. Além disso, ao importar produtos eletrônicos da China é preciso pensar que muitos desse produtos podem ser de tamanho reduzido, como por exemplo pendrive, placas de computadores etc.

Então, pode ser mais vantajoso pagar um frete aéreo. Dessa forma, indico a modalidade de Importação Simplificada, que é o serviço ideal para quem quer importar até 3 mil dólares de mercadoria, e produtos de alto valor agregado. Além disso, a importação via área é muito mais rápido do que a marítima. Por outro lado, bem mais caro. Quer conhecer outros detalhes da importação simplificada, assista ao vídeo abaixo.

Quais são os Impostos de Importação?

Os impostos de importação são ao todo cinco. O pagamento deles é o que faz com que sua mercadoria seja declarada como legalizada no Brasil. Geralmente, eles são pagos quando a carga chega no porto ou aeroporto brasileiro. Além disso, como exceção do ICMS, os demais tributos são todos recolhidos pelo governo federal.

Os impostos de importação são:

  1. Imposto de Importação
  2. Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)
  3. Programa de Integração Social (PIS)
  4. Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e
  5. Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS)

Quer saber mais sobre os impostos incidentes na importação empresarial? Assista ao vídeo abaixo.

O Que são Despesas Fixas de Importação?

As despesas fixas são vinte ao todo, mas nem todas elas incidem sobre a importação. Se você vai importar da China para revender, as despesas fixas que vão incidir sobre a importação dependem de alguns fatores. Por exemplo, se o frete contratado é marítimo ou aéreo.

Alguns exemplos de despesas fixas são armazenagem, emissão de documentos, pagamento de despachante aduaneiro, licenças e certificações de produtos, Radar Siscomex. Por exemplo, para produtos eletrônicos de telecomunicações pode ser que seja necessário uma certificação ou homologação de ANATEL.

Dessa forma, é importante se informar bem sobre o produto alvo da importação.

Tornando Real a Importação da China

Depois de ter feito todos os custos da importação da China, chega o momento de tomar a decisão mais importante: “Devo importar ou não?”. A dica principal aqui é confiar nas informações da planilha. Ou seja, se for possível importar da China para revender com ganhos de 2 ou 3 vezes o valor do custo do produto, manda a bala. Se não for, dê um passo atrás. Busque outro produto, outro fornecedor ou outra modalidade de importação. Mas não desista!

Se a resposta for sim, então entre em contato com fornecedor e sinalize a concretização do negócio. Ele vai gerar para você um documento chamado Proforma Invoice, com uma série de informações sobre o pedido. Entre elas, destaca-se descrição completa, peso bruto e líquido dos produtos. Além disso, traz informações sobre a cubagem e o HS Code.

Ela também é usada para realizar o pagamento do fornecedor, por meio de banco ou casa de câmbio. Geralmente, os fabricante pede um adiantamento de 30% para iniciar a produção. Mas esse percentual pode variar, dependendo do combinado entre as partes.

Vamos caminhar agora para uma fase importante da importação.

O Desembaraço Aduaneiro no Brasil

O desembaraço aduaneiro é fase mais complexa de todo o processo de importação, principalmente no quesito burocracia. É nesse momento que os documentos de importação são checados pelos agentes da Receita Federal. Dessa forma, antes da carga chegar na aduana brasileira, o importador tem de contratar o despachante aduaneiro. É aqui também que se você importar produtos de marca e não tiver os devidos documento para isso, sua importação vai dar problema.

Então, esse profissional entrega os documentos de importação à Receita. Ele também procede com o preenchimento da Declaração de Importação (DI), a partir da Commercial Invoice. Assim, é muito importante que a commercial invoice esteja devidamente preenchida, como todas as informações solicitadas. Caso falte algum dado, o importador será alvo de multas ou retenção da carga até que o erro seja corrigido.

O Frete até a Empresa do Importador

Na maior parte das modalidades de importação, o importador precisa contratar o frete do porto de desembarque até a empresa. Isso só não acontece em um caso. Na Importação Simplificada, que é uma modalidade de importação aérea, existe um serviço que conhecido como door to door.

Com ele, a empresa contratada, por exemplo a DHL, retira os produtos na porta do fabricante ou fornecedor na China e entrega a carga na porta da empresa do importador. Uma belezura, né!? Só que isso custa caro. Além disso, indicado apenas para alguns tipos de mercadorias.

A importação simplificada é indicada para produtos de alto valor agregado, sendo que o valor da carga não pode ultrapassar os US$ 3 mil. Além disso, esses produtos precisam ser pouco ou minimamente volumosos. É o caso de relógios, bijuterias e componentes eletrônicos.

Vale a pena Importar Eletrônicos no Importação Digital?

Se você precisa importar produtos volumosos, mas não tem grana para trazer um container inteiro, o Importação Digital é o plano que atende a essa necessidade. Ao contrário da Importação Simplificada, no Importação Digital você tem acesso ao container compartilhado da China Gate sem qualquer limite de custo da carga. Você paga apenas 247* dólares por metro cúbico utilizado, sendo que o mínimo necessário é exatamente 1 metro cúbico.

Nesse serviço, o importador precisa se preocupar apenas com a busca de produto e fornecedor, com a negociação e o pagamento do mesmo, isso por que a China Gate cuida do processo burocrático. Isto é, fazemos o desembaraço aduaneiro, os custos de importação etc.

O importador tem ainda acesso a uma série de bônus e vantagens, como acesso a 10 planos de negócios com os produtos mais promissores e lucrativos para importar da China e habilitação do seu Radar Siscomex totalmente grátis.

Quer saber mais, então toque no botão abaixo.

*Valor praticado em Maio de 2021.