8 Dicas para Tirar seu Projeto de Importação da China do Papel

projeto de importação da China

Gerenciar e coordenar um projeto de importação da China é uma tarefa que exige muito foco. Existem muito pontos e fatores que precisam da sua atenção.

Além disso, qualquer erro no desenvolvimento desse projeto pode se tornar uma bola de neve. O resultado disso sem dúvida é prejuízo, perder dinheiro.

Nesse texto, você vai acompanhar oito dicas para desenvolver seu projeto de importação da China com a maior segurança e confiança possível.

O Produto Pode ser alvo de Importação da China?

A primeira coisa a ser verificada é se o produto pode ser alvo de importação da China para o Brasil. Na teoria, tudo o que pode ser vendido no Brasil, pode ser importado.

Entretanto, existem alguns restrições que devo elencar aqui. São itens que tem venda proibida no Brasil, por isso não podem ser importados.

Por outro lado, temos aqueles que podem ser comercializados e importados, mas precisam obedecer a uma série de requisitos.

Vamos lá!

Produtos de Comercialização Proibida no Brasil

Como todos sabemos, existem alguns produtos que tem a venda proibida no Brasil. Entre eles, podemos destacar o cigarro eletrônico e vipers, por exemplo.

Mas, aí você vai me dizer: Poxa, Dilvo! Esse é um dos produtos que mais vejo por aí! Sim, você encontra facilmente esses itens em lojas de conveniência, tabacarias etc.

Só que eles entram no Brasil de forma clandestina. Se você quer fazer importação da China de forma empresarial e legalizada, então esqueça esses produtos. Eles não passam pela fiscalização da Receita Federal nem que a vaca tussa.

Assim, sua primeira tarefa é descobrir se o produto tem permissão para ser comercializado no Brasil. Começar seu projeto de importação da China com um produto proibido passa longe de ser uma coisa boa.

Importação da China de Produtos Usados

Por padrão, a importação de produtos e materiais usados também é proibida no Brasil. Porém, há exceções para alguns itens.

É o caso das máquinas, por exemplo. Além disso, produtos nesse perfil tem isenção do Impostos de Importação (II), que é uma dos cincos tributos cobrados em qualquer importação empresarial para o Brasil.

Se o seu objetivo for importar uma máquina para a linha de produção ou para operação na sua empresa, sem dúvida esse pode ser um passo muito interessante e lucrativo.

Agora, vamos passar ao tópico dos produtos de marcas famosas!

Importação de Produtos de Marca Registrada

Aposto que você já deve ter pensado em importar algum produto de marca famosa. Apple, Samsung ou Nike. Quem nunca!?

A importação de produtos de marca registrada não é exatamente proibida. Entretanto, existem algumas barreiras para você trabalhar com esses produtos.

Isso por que esses itens estão rodeados de direitos de propriedade intelectual e marca, por exemplo.

Então, se você fosse fazer uma importação da China de Iphone 11, teria de ter uma autorização da dona da marca para comercialização desse e de todos outros modelos da Apple.

E não para por aí! Nós temos esses produtos sendo comercializados no Brasil. Então, é óbvio que alguém importa, que é lucrativo. Mas, se você começasse hoje, teria condições de concorrer com essa pessoa no mercado de celulares?

Aqui é uma questão de bom senso, acredito! Ou seja, olhando pelo lado comercial, talvez você não conseguisse ter sucesso com a venda de Iphones, já que o mercado está dominado por empresas com um poderia econômico absurdo.

Então, a não ser que você tenha um caminhão de dinheiro e bons contatos importar produtos de marcas famosas não é viável e nem vantajoso.

Produtos Réplica ou Pirateados

Na importação, os produtos pirateados são um passo mais a frente na fraude de comercialização sem autorização de quem é dono do item.

Por exemplo, se você trazer uma carga de Iphone 11 para o Brasil, e vende sem nota fiscal e sem autorização da Apple, está pirateando produto.

A réplica também acontece sem o devido reconhecimento da propriedade intelectual. Ou seja, você fabrica um produto com as mesmas características do produto original.

Posteriormente, comercializa já se aproveitando da fama e reconhecimento que a marca tem no mercado.

Essas práticas são criminosas e jogam o nome de qualquer negócio ou empresa na lama. Acredito que não seja isso que você esteja procurando fazer com seu tempo e energia.

Não é mesmo!?

Pesquise o Mercado, Concorrentes e Consumidores

Não é possível realizar a importação sem ter um produto alvo. E, antes de escolher esse produto, você precisa entender como funciona o mercado dele. Uma boa maneira de fazer isso é fazendo um estudo bacana de mercado.

Existem vários modelos de pesquisa de mercado por aí. Desde os mais detalhados até aqueles mais superficiais. É claro que você deve aplicar aquele que se encaixa melhor na sua necessidade.

Se, por exemplo, você se interessa pelo mercado de papelaria. Entretanto, você não entende nada disso. Então, aconselho fazer uma boa pesquisa.

Com isso, você vai compreender não só o produto. Mas, também seus concorrentes, a cadeia de distribuição do item, as dificuldades e oportunidades de negócio.

Todavia, o fator principal é entender o cliente, suas necessidades, dores e comportamentos de compra, consumo de conteúdos sobre o assunto etc.

Acredito que quanto mais desinformado você estiver sobre seu ramo de atuação, mais profunda deve ser o estudo de mercado.

Costumo ouvir por aí que o melhor produto para você importar é aquele que você sabe vender. Isso por que nenhum produto se vende sozinho.

Divida o Projeto de Importação em Várias Partes

Um projeto de importação da China pode parecer algo assustador, à primeira vista. Na verdade, o operacional de uma importação de qualquer lugar do mundo é uma coisa de doido.

São muitas fases, muitos procedimentos, inúmeros detalhes para buscar, coordenar e gerenciar. Então, se você abrir todo o projeto e olhar com vista panorâmica, vai ficar perdido. Ou seja, sem saber por onde começar e o que fazer.

Dessa forma, a dica é dividir por passos ou fases. Basicamente, a importação é dividida em três fases: a comercial, a fiscalização e a logística.

A comercial diz respeito a busca de produtos e fornecedores, a negociação e pagamento. Por outro lado, a fiscalização é o desembaraço aduaneiro, onde os documentos de importação serão checados e os impostos de importação recolhidos.

Por fim, a logística trata do recebimento da carga no armazém da China, transporte internacional e frete doméstico.

Entretanto, elas se misturam, se embaralham entre si.

Quer entender melhor como funciona? Vem comigo!

Como Entender Cada uma das Fases do Projeto de Importação da China?

Essas é uma divisão inicial da sua importação. Depois de fazer esse esquema, você pode dividir cada uma dessas três partes em outras menores.

Então, por exemplo, a fase comercial é dividida em busca de produto, busca de fornecedor, negociação e pagamento do fornecedor.

A fase de fiscalização fica definida em:

  1. Registro da Declaração;
  2. Distribuição;
  3. Parametrização;
  4. Entrega dos Documentos;
  5. Conferência Aduaneira;
  6. Desembaraço Aduaneiro e
  7. Entrega da mercadoria

Por fim, o braço logístico da importação da China tem três partes. O primeiro deles acontece entre a saída da carga do fornecedor até o armazém para consolidação. Ou por outro lado, do envio do contêiner esse fornecedor para carregamento das cargas. Isso se você for importar um contêiner cheio!

Depois temos a fase dos procedimentos pré-embarque no porto ou aeroporto. Se sua carga for de contêiner compartilhado, no porto ela passa por umas sete ou oito movimentações.

Assim, depois da carga embarcada acontece o transporte entre China e Brasil. Essa parte acontece entre o pagamento do fornecedor e a fiscalização na aduana.

O outro trecho da fase logística segue após a fiscalização, ou seja, é o frete do porto ou aeroporto até o seu endereço comercial.

É claro que você pode dividir o projeto de outras formas. Por exemplo, pode destacar as partes onde você vai atuar e suprimir as partes delegadas a terceiros.

Ou, fazer uma divisão como apresentei aqui, entretanto com um cronograma temporal mais detalhado. Ou seja, definir datas para a operação de cada fase.

Por fim, você deve escolher o formato que melhor dialogar com sua forma de trabalhar e com os resultados esperados para cada ponto.

Descubra se a Importação do Produto é Viável Para sua Empresa

Essa dica é fundamental. Acredito que é a mais importante desse artigo. Garantir que a importação do produto seja viável para seu negócio é a essência da importação empresarial.

Digo isso por que a importação empresarial de qualquer produto tem como finalidade proporcionar que esses itens sejam vendidos com lucro no mercado.

Dessa forma, a viabilidade mostra se esse produto vai chegar com um preço de custo capaz de permitir a margem de lucro almejada, de ser competitivo no mercado e, ao mesmo tempo, ser atrativo para o consumidor.

Por isso, a simulação de custos se configura numa peça muito importante dentro do seu projeto de importação da China. Você sabe como ela funciona?

Te explico!

Como Fazer uma Simulação de Custos de Importação da China?

A simulação de custos é feita com base em todos os custos de importação. Leva em conta desde o custo do produto na China até o valor do frete para entregar a carga na porta da sua empresa.

Esses custos então são todos somados e você tem o valor total da importação, mas também um custo por unidade. Mas, quais são todos esses valores que compõe a planilha?

Eles são:

  1. O custo do produto;
  2. O custo do frete mais o seguro da carga;
  3. Os Impostos de Importação e
  4. As despesas fixas.

Cada um desses quatro elementos é composto por uma série de outros valores. Por exemplo, as despesas fixas abarcam os honorários devidos ao despachante aduaneiro, mas também despesas com emissão de documentos (se necessário ), gastos com homologações e certificações de produtos etc.

Quer saber mais sobre como entender e fazer a simulação de custos? Assista ao vídeo abaixo:

Visto isso, vamos passar ao próximo tópico.

Tenha Cuidado com a Gestão Financeira da Importação

Essa é uma parte que impacta não somente na importação, mas no fluxo de caixa da sua empresa. É preciso ter em mente que durante os meses de importação, você terá de desembolsar um montante considerável de dinheiro.

Então, das duas, uma: Ou você se planeja para ter os recursos já reservados, retirando do caixa apenas para situações não previstas. Ou você onera o fluxo de caixa da empresa, fazendo todas as retiradas da importação à medida que vão chegando os custos.

Essas duas possibilidades ainda encontram outras duas variáveis muito importantes. Se você tiver um negócio constituído, com uma boa previsão de receitas, pode ser que retiradas do caixa não prejudiquem muito o andamento do seu negócio.

Mas, por outro lado, se você estiver começando, então não terá caixa algum para fazer a gestão financeira da importação. Dessa forma, sua única saída é o planejamento antecipado dos recursos financeiros.

Nesse segundo caso, o tópico anterior sobre a simulação de custos é ainda mais fundamental. Já que esse documento vai ser capaz de te posicionar sobre a capacidade financeira necessária para concluir todo o projeto de importação da China.

Volto a repetir: Fazer uma simulação de custos é fundamental!

Como Gerenciar as Transações Financeiras na Importação da China?

As transações financeiras que acontecem na importação da China devem ser gerenciadas após bastante planejamento. Uma das principais é o pagamento do fornecedor.

Essa transação deve ser feita via casa de câmbio ou por intermédio de uma instituição bancária de sua preferência. Esse procedimento vai gerar um contrato de câmbio, o documento que comprova a realização do pagamento.

Lembrando que esse tipo de transação é muito indicada para pagamentos de altas quantias. Na verdade, já indico que seja feita caso a compra seja maior que 5 mil dólares.

Para transações menores, é seguro pagar por dentro dos sites, como acontece por exemplo no Alibaba. Por lá, o pagamento pode ser feito no cartão de crédito da empresa ou por meio de boleto bancário.

Aqui não há emissão de contrato de câmbio. Todavia, você tem em suas mãos algo que comprove a realização do pagamento. Caso a transação falhe ou aconteça algum imprevisto, no Alibaba é possível abrir uma arbitragem entre você e o fornecedor.

Destaco: faça o pagamento com o cartão da empresa, dessa forma, a contabilidade do seu negócio estará bem certinha.

Tenha um Mínimo Produto Viável

O Mínimo produto viável é o investimento mínimo que você precisa fazer para ter um produto com a qualidade e funcionalidade mínimas necessárias para testar o mercado.

Em um projeto de importação da China esse produto poderia ser comparado ao pedido de um lote teste. Mas, o que é esse lote teste? Tenho certeza você me perguntaria!

O Lote teste é um pedido em quantidade o suficiente para testa o mercado e saber como é a experiência do seu público-alvo com o produto. O mais importante aqui é colher as impressões ou feedbacks dos clientes.

Isso funcionará como um parâmetro para implementar futuras modificações ou melhorias no item. Dessa forma, o lote teste ou o mínimo produto possível teria o caráter de teste, com o objetivo de ajustar as estratégias de venda, marketing à realidade do mercado.

Não Existe Momento Certo para Começar

Se você está esperando a cotação do dólar baixar ou o custo do frete cair, tenho uma verdade para lhe dizer: Isso pode nunca acontecer.

Quanto ao dólar, não há no momento uma perspectiva de queda considerável. Em ano eleitoral, de eleições majoritárias no Brasil, o cenário de incerteza e disputa política vai fazer com o que o dólar aumente.

E não estou falando isso por que tenho uma bola de cristal. Esse é o quadro que sempre é pintado em ano de eleições presidenciais.

Por outro lado, na questão do frete é esperado sim um movimento de redução. Ele já esperado já no fim do ano novo chinês, que termina em meados de fevereiro.

Mas, essa tendência só deve se confirmar mesmo após a entrega de novas embarcações e de contêineres, o que deve acontece entre 2022 e 2023.

Uma coisa é fato: Não voltaremos aos valores praticados antes do da pandemia. Visto que mesmo sobre preços exorbitantes, a operação se mostrou possível. O que quero dizer com isso?

Os donos de navios e operadores do comércio exterior perceberam que mesmo com frete nas alturas, o sistema se mantem sustentável. Eles ganham mais dinheiro com isso. Assim, acho difícil acreditar numa redução grande no frete.

Mas, como fico nessa história? Você pode perguntar.

Como Absorver Aumento de Custos na Importação?

A maneira mais lógica de lidar com aumento de custos na importação é repassando para o cliente. Olhando de um forma geral, esse pode não configurar o melhor dos cenários.

Mas, vamos pensar bem!? Se o custo de importação ou de produção aumenta para um, então aumenta para todo mundo. Ou seja, todo mundo vai comprar mais caro e precisar vender mais caro.

É o movimento natural do mercado. É claro que certos negócios ou empresas tem mais flexibilidade do que outras, podendo ter maior capacidade de absorver e de manter preços de produtos mesmo em período de alta de custos.

Isso pode já pensado no seu processo de importação, tentando comprar o máximo possível de produtos para que o custo unitário seja o menor possível.

Com essas estratégias você protege sua margem de lucro e se mantem firme no mercado!

Focar a Venda dos Produtos nas Marketplaces

Uma coisa é fato: se você não está presente no digital, então você não entendeu nada. A bem da verdade é que o jeito de fazer negócios e de vender mudou bastante com o desenvolvimento das redes sociais e plataformas de e-commerce.

Para se ter ideia muitas empresas só existem nesses lugares. Ou seja, não tem loja física, vitrine e atendimento presencial. Algumas dessas empresa não tem nem estoque próprio de produtos.

Dessa forma, as marketplaces como Mercado Livre, Americanas.com, Magazine Luiza são especializadas em vendas online de produtos. O Mercado Livre é talvez o site de e-commerce mais conhecido do Brasil.

Ele é tão importante que serve como uma ferramenta para acompanhar tendências e comportamento do mercado. Basta visitar o Mercado Livre Tendências e ver quais os produtos mais comprados na plataforma, por ramo ou segmento.

Um fato importante é nesses lugares o consumidor procura por preços atrativos. Então, pode ser indicado trabalhar com itens de alto giro, e com margem de lucro mais reduzida. Além disso, há custos que o site cobra na venda de cada item.

Dessa maneira, faça os cálculos e analise se vale a pena ou não operar o negócio por lá.

Há ainda o social commerce, que é vender pelas redes sociais. Entretanto, há uma dificuldade. Você precisa se destacar da concorrência e entregar conteúdo de valor para sua audiência. Ou seja, além de vendedor é preciso desenvolver habilidades de comunicação para engajar o público.

Agora que tal descobrir de uma maneira mais profunda como você pode gerenciar e coordenar seu projeto de importação da China?

Toque na imagem abaixo e baixe o Guia Definitivo da Importação da China.

Dilvo Rodrigues

Dilvo Rodrigues

Nascido nas Minas Gerais, formado em jornalismo e apaixonado por cinema. Sou pai do Francisco, prezo por uma história bem contada e tenho muito gosto por aprender coisas novas. Sou Redator na China Gate, e ajudo pessoas a tomarem as melhores decisões sobre importação da China.
Dilvo Rodrigues

Dilvo Rodrigues

Nascido nas Minas Gerais, formado em jornalismo e apaixonado por cinema. Sou pai do Francisco, prezo por uma história bem contada e tenho muito gosto por aprender coisas novas. Sou Redator na China Gate, e ajudo pessoas a tomarem as melhores decisões sobre importação da China.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Postagens Recentes

Importe direto da China para Sua empresa Com Nota Fiscal

AULAS AO VIVO E GRATUITAS

DE 16 A 18 DE MAIO ÀS 20h

método válido para importação por CNPJ