Produtos para importar na Pandemia – Saiba as tendências!

Tempo de leitura: 7 minutos

Produtos para importar na Pandemia que vão fazer o seu negócio manter-se estável

E aí importador, tudo beleza? Ficou surpreso com o título? Com a chegada da pandemia, alguns produtos se tornaram tendência de importação, e possivelmente continuarão a ser depois do COVID-19. Se está começando agora, ou busca um redirecionamento para suas vendas online, confira algumas das questões abaixo.

Antes de entrarmos nos produtos em si, cabe ressaltar um aspecto importante. Antes da pandemia, a mentalidade e o momento do mercado eram bem diferentes da situação na qual nos encontramos hoje. Sim, é um tanto óbvio, porém isso significa que, atualmente, as necessidades e urgência do público são bem diferentes daquilo que foi estimado no início do ano.

Na prática, isso significa mudar sua postura diante das importações atuais, seja com o mercado interno, seja com o mercado chinês, nosso principal foco de ação. Avalie não apenas os produtos, mas as necessidades do público atual, agora e nos próximos meses com a diminuição dos casos.

Dito isso, vamos às sugestões. 

Como está o cenário atual do mercado?

O E-commerce e a busca por produtos consumíveis dentro de casa cresceu de maneira exponencial nos últimos meses. Em decorrência das medidas de quarentena, e a mudança gradativa da mentalidade do público, a busca por produtos e métodos de compra que sejam feitos e aproveitados dentro de casa promete ser algo constante nos próximos meses. Mesmo depois do fim da pandemia, isso é um cenário que deve se manter.

Para sermos mais específicos, o aumento de compras no E-commerce foi de 42%, segundo dados levantados pela folha. Mais do que uma preferência, a venda online tornou-se uma necessidade. 

Contudo, ao contrário do que pode parecer, você não precisa necessariamente agilizar a criação de uma loja virtual completa, cheia de recursos. Tal como o comércio tradicional, isso demanda tempo, estudo e recursos para que seja feita de maneira apropriada.

Entre as alternativas que os novos comerciantes virtuais podem optar para ter uma presença online apropriada, existem as seguintes.

  • Blog pessoal
  • Redes Sociais
  • Youtube
  • Whatsapp

Qualquer rede em que possa se comunicar com o público diretamente, e encontrá-lo por pesquisas na web, pode ser um canal de vendas. O importante, mais do que tudo, é que encontrem sua marca. O que leva a outro ponto importante: construa uma comunidade online.

Ter pessoas que não apenas o procurem, mas que indiquem o seu trabalho, torna as possibilidades de um e-commerce sustentável ainda maiores. Nisso, sugerimos uma prática para sustentar suas vendas online: E-Commerce regional.

Investir no E-commerce Regional

Uma das vantagens do E-commerce é a possibilidade de vendas para todo o Brasil. Entretanto, não demora muito para perceber as dificuldades tanto competitivas, como de operação para ter essa abrangência. Custos de frete e tempo de entrega são fatores tão relevantes para o consumidor do que o preço.

Essa dica é valiosa. Buscar por uma abrangência regional, que traz taxas menores de fretes, ou mesmo a opção gratuita, bem como envios ainda mais rápidos, pode garantir sustentabilidade ao seu negócio, inclusive em economias.

Atacadistas também devem investir no varejo

Outra tendência importante vai para os comerciantes voltados para o segmento atacadista. O comércio tem se tornado cada vez mais plano, em que o consumidor final busca por produtos diretamente da fábrica, pode-se negociar valores mais competitivos com comerciantes menores, entre outras combinações.

O fato é que, quem vende, não precisa limitar-se unicamente a um segmento de vendas pensando em lucros maiores. Empresas como Dell e Growth foram pioneiras na iniciativa, o que abre campo para investimentos, mesmo no cenário atual da Pandemia.

Quais os melhores produtos para importar nesse momento de pandemia?

Partindo do princípio que o E-commerce é a base para vendas mais sustentáveis durante o período de Pandemia, quais seriam os segmentos ideais para começar? Como falamos lá no começo do texto, estão produtos que podem ser usados facilmente em casa.

Separamos alguns deles abaixo.

  • Produtos de ginástica
  • Brinquedos
  • Games
  • Produtos para Home Office
  • Artigos para saúde e cuidados higiênicos
  • Utensílios para Cozinha

Produtos de Ginástica

Quem sente falta das academias tem se adaptado em casa com uma série de ferramentas e acessórios que garantem a boa forma. As vendas de produtos como halteres, elásticos, bicicletas ergométricas, entre outros, cresceram 283%, quase o triplo em relação a pré-pandemia.

Brinquedos e games

Tanto as crianças, como os adultos, precisam de meios para se manterem ativos dentro de casa. Brinquedos mais físicos, como os jogos eletrônicos, estão muito visados atualmente. Tópicos como jogos de tabuleiro, bonecos, pula-pula, além de mesas a cadeiras infantis, são alguns dos mais procurados para os pequenos.

Ainda quanto aos games, acessórios como joysticks e outros periféricos devem aumentar em quantidade com o passar do tempo.

Produtos para Home Office

Este é um tópico curioso. O aumento de profissionais no Home Office, que deve se manter mesmo após a pandemia, pediu por adaptações e investimentos que já estavam visados, mas que agora são necessários.

Produtos que tornem o dia a dia de trabalho mais confortável em casa se encaixam aqui. Cadeiras de escritório ou gamer, webcam, computadores e notebooks mais eficientes, fones de ouvido, e equipamentos de streaming são algumas sugestões.

Artigos para saúde e cuidados higiênicos

A Covid-19 não apenas acionou um alerta de risco, como também instigou uma série de mudanças importantes na higiene, cuidados pessoais, e prevenção. Além disso, a falta de alguns serviços, como salões de beleza, também pedem por mais cuidados dentro de casa. 

Isso se reflete na busca por artigos equivalentes, como termômetros, nebulizadores, máquinas para cortar cabelo, e obviamente, máscaras. Outro ponto curioso: a prevenção não está apenas na avaliação de riscos, como também em cuidados com a saúde, de forma geral. A compra de vitamínicos, para reforçar a imunidade, é um exemplo disso.

Utensílios para Cozinha

A falta de restaurantes será uma constante por um tempo. E embora exista a opção de serviços por entregas, é algo caro de se manter, o que tem incentivado a compra de acessórios de cozinha e equipamentos que permitam a produção de alguns insumos dentro de casa.

Por exemplo: a busca por fritadeiras e máquinas de fazer pão, bem como os ingredientes necessários para a produção, aumentou de maneira expressiva. 

Todos esses grupos são tendências para importar nesse momento. E todos eles carregam essas características em comum: a necessidade de ficar em casa, e buscar por produtos que tornem esse período propício.

Ainda vai levar muito tempo para a situação se normalizar, o que dá campo para novos investidores adaptarem-se com mais possibilidades de ganhos. Se você tem interesse, ou precisa fazer essa transição de forma eficiente, e com produtos de fora, entre em contato conosco.

A China Gate é focada na consultoria e ensino de importação para pessoas jurídicas, incluindo MEI seguindo todas as regras e convenções de acordo. Se ainda não conhecia nosso trabalho, temos materiais completos para que comece suas importações o quanto antes. Confira mais detalhes com a gente, e até o próximo artigo!

E se você precisa de ajuda para fazer sua importação, entre em contato com a gente clicando aqui.

Fontes:

https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2020/04/04/produtos-mais-vendidos-coronavirus.htm

https://ecommercenapratica.com/o-que-vender-online-na-pandemia/

https://g1.globo.com/economia/tecnologia/noticia/2020/04/08/alcool-halteres-cadeira-webcam-levantamento-mostra-produtos-mais-buscados-na-internet-durante-pandemia.ghtml