Os 5 Principais Mitos Sobre Importação da China

Tempo de leitura: 9 minutos

Caro importador, nesse texto irei abordar os 5 principais mitos sobre importação da China. Já que a importação de produtos da China ou de qualquer outro país é um assunto relativamente novo para a média dos empresários e empreendedores brasileiros. Isso, apesar do Brasil manter relações comerciais internacionais com outros países há séculos. Mas, a grande entrada de produtos chineses no país, nas últimas décadas é que parece ter acendido uma luz na cabeça do comerciante, do empresário de pequeno e médio porte. E o empresário de grande porte? Você pode me perguntar. Eu diria que esse já entende de importação a muito tempo atrás.

Meu objetivo aqui é sempre o de passar uma informação consistente e confiável, afinal de contas preciso honrar meu diploma de jornalista. Além disso, muitas pessoas tem muito medo de importar, medo de perder seu suado dinheiro. Dessa forma, aqui pretendo com que você utilize o medo como combustível para a ação e, não como barreira para a estagnação.

Bora importar!?

Os Produtos Importados da China são de Péssima Qualidade

Esse é um dos mitos mais comuns, entre os 5 principais mitos da importação da china. Quando alguém diz disso, proponho um exercício. Essa tarefa consiste em saber a origem dos produtos que a pessoa consome e anotar essa origem e a marca do produto numa papel. Precisa ser feito durante uma semana, no fim dos sete dias voltamos a conversar. Então, é possível perceber que o calçado da Adidas pode ter sido produzido na China, seu celular da Apple foi produzido na China, que seu Mercedes-Benz pode ter sido produzido na China. A que pergunta que fica é: Esses produtos são de péssima qualidade?

Por outro lado, temos fábricas e empresas de origem chinesa que produzem itens e objetos de todos os níveis de qualidade. Então, temos itens desde utilidades do lar, com preço muito acessíveis, passando por placas eletrônicas de alto valor agregado, até grande conglomerados empresarias ligados ao setor de ciência e desenvolvimento de tecnologia, o Alibaba Group é um desses gigantes.

Os Fabricantes Chineses não são Confiáveis

Assim como em qualquer outro lugar do planeta, na China existem pessoas que querem tirar vantagem uma das outras. Então, é preciso se resguardar, aprendendo e reunindo ferramentas que nos faça sentir maior segurança durante os negócios.

Na importação da China, por exemplo, existem alguns mecanismos que podem ser adotados com o objetivo de evitar danos e perdas futuras. Eles são:

  1. Realizar Inspeção no Fabricante;
  2. Fazer Inspeção no Produto;
  3. Verificar as informações no Alibaba;
  4. Fazer importação de Amostras e
  5. Comunicação fluida e produtiva.

Para saber mais sobre como evitar surpresas desagradáveis na importação, e fazer tudo com a maior segurança possível? Assista ao filme abaixo.

Sempre dá Canal Vermelho na Primeira Importação da China

Considero esse um dos maiores dentre os 5 principais mitos da importação da China. Mas, para deixar as coisas um pouco mais claras aqui. Vou explicar de onde vem o temido canal vermelho.

Toda a carga que chega no porto ou aeroporto brasileiro precisa passar pelo processo de nacionalização, recolhimento de impostos etc. Os responsáveis pelo setor aduaneiro é a Receita Federal, que faz uma fiscalização bastante rigorosa de tudo que entra no Brasil. Se o importador tiver feito o dever de casa, seguramente deve ter contratado um despachante aduaneiro. Esse profissional é o responsável por conduzir todo o procedimento de nacionalização dos produtos, apresentando a documentação exigida pela Receita Federal.

Quando o despachante aduaneiro entrega os documentos à agência fiscalizadora brasileiro, começa então uma fazem de checagem, o famoso cara crachá. Ou seja, vai ser feito uma averiguação para que o governo brasileiro tenha certeza de que aquilo que você apresentou na documento está realmente dentro das caixas e embalagens importadas da China. E, como é feito isso? Através de um sistema eletrônico chamado de Canais de Parametrização.

Quais os Canais de Parametrização na Importação da China?

Os canais de parametrização nada mais são de que modalidades ou formas de conferência da carga importada. Eles são quatro e nomeados por cores.

  1. O Verde: Quando a carga é liberada quase que automaticamente, já que a Receita Federal, nesse caso, entende que está tudo certo com a importação.
  2. O Amarelo: Se a carga cair nesse canal, o fiscal da receita irá fazer uma checagem de documentos, isto é, ele irá conferir se o que está listado na documentação confere com os dados do sistema da Receita Federal.
  3. O Cinza: Se a carga cair no canal cinza, é por que a fiscalização brasileira entende que você pode estar cometendo alguma fraude. Nesse canal, a fiscalização vai acontecer com muito rigor, podendo levar até 90 dias, prorrogáveis por mais 90.
  4. O Vermelho: Nesse canal, o fiscal solicita a abertura da container e faz uma verificação por amostragem. Ou seja, Vai pedir para abrir uma, duas ou 10 caixas e comparar com o que está descrito na documentação.

Mas, qual a verdade do canal vermelho? A Verdade é que a carga pode cair no canal vermelho tanto na primeira como na décima importação da China. E, não há critérios muito claros para saber em qual canal a importação vai ser fiscalizada. Entretanto, a experiência diz que mudanças no padrão de importação podem chamar a atenção da receita. Por exemplo, se antes você importava um container de peças de bicicletas, a cada seis meses. Mas, agora começou a importar um por mês. Se você importava capinhas de celular, mas agora começou a importar um container inteiro de peças automotivas.

Por outro lado, o ponto principal para se evitar problemas nessa fase de importação é fazer uma conferência rigorosa da documentação de importação, ou seja, fazer um check list.

Posso Perder minha Carga na Importação da China?

Você não corre risco de perder a carga na Receita Federal se estiver estabelecendo parcerias com profissionais qualificados e experientes. Por exemplo, o importador deve sempre conferir a documentação quando vai importar. Além disso, a figura do despachante aduaneiro é muito importante nessa fase. Dessa forma, contrate alguém de confiança. Se, por outro lado, você não entende nada de importação, mas mesmo assim quer começar, busque por uma boa consultoria. Além disso, fique com um pé atrás, caso alguém faça parecer tudo fácil demais.

Então, os casos em que você pode perder os produtos são somente em situações de fraude. Por isso, se você estiver fazendo a importação com o objetivo de fazer crescer seu negócio, aumentar os lucros e conquistar mercado, dificilmente vai correr esse risco. É claro que erros podem acontecer, e um ou outro ajuste terá de ser feito. Entretanto, isso passa longe de qualquer ação deliberada para burlar o sistema.

O último mito chega a ser mais um mentira.

Não Compensa Importar da China

A China é um pais com uma população enorme, ou seja, com uma força de trabalha imensa. Esse fato faz com que o custo da mão de obra no país asiático impacte pouco no preço incidente no produto. Resultado: os produtos chineses são mais baratos. É claro que o fato da remuneração e da jornada de trabalho dos chineses levantam vários questionamento ao redor do mundo, inclusive aqui no Brasil. Mas, essa é outra discussão.

O fato é que a possibilidade de importação de produtos da China é uma oportunidade para empresários brasileiros, principalmente para produtos os quais o Brasil tem pouca tradição de desenvolvimento. Não sei se você sabe, mas há séculos, nosso país exporta matérias-primas de baixo valor agregado, commodities. Mas, por outro lado, importar produtos de auto valor agregado, que são computadores, celulares etc. Muitos dos produtos que usamos no dia a dia são importados. Comece a notar!

Então, qual a solidez da argumentação contra a importação? Nenhuma! Se usamos esses produtos, alguém está importando, vendendo e, principalmente, pode estar ganhando muito dinheiro com esse modelo de negócio. Em se tratando da China, desde 2009, eles são nosso principal parceiro comercial. Historicamente, é o país que mais compra do Brasil. Mas, também, é o primeiro país do qual o Brasil mais compra. Então, há um mercado consolidado em pleno desenvolvimento e expansão, do qual você, importador, pode fazer parte.

Mas, como é possível começar?

Você já Conhece o Importação Digital?

Nesse serviço, tem a disposição do time de consultores e especialista da China Gate. Eles cuidam de todo o processo burocrático da importação. Por sua vez, o importador fica responsável por encontrar, negociar e pagar os fornecedores na China.

Com o Importação Digital você não precisa contratar despachante aduaneiro, já que nós cuidamos de todo o desembaraço aduaneiro. Outra boa vantagem é que você pode realizar importações de pequeno porte, pagando pelo espaço mínimo de 1 metro cúbico o valor de US$ 247*.

Além disso, ganha uma série de bônus como habilitação do radar Siscomex, e 10 planos de negócios com dicas dos melhores ramos de atuação.

Bora importar?

*Valor praticado em maio de 2021. Sujeito a alteração sem aviso prévio.